Pontos Turísticos › Sala São Paulo em São Paulo

Construída entre 1926 e 1938 para ser a sede da Estrada de Ferro Sorocabana - companhia criada em 1875 pelos barões do café, para o escoamento deste produto até o porto de Santos, a Estação Júlio Prestes foi reformada e transformada em Complexo Cultural em uma obra que durou um ano e meio e custou R$ 44 milhões. O edifício abriga a Sala São Paulo, que é uma das mais modernas e bem equipadas salas de concerto do mundo e atual sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

A inauguração do espaço aconteceu no dia 9 de julho de 1999. A sala seguiu os mais modernos parâmetros técnico-acústicos. A grande inovação tecnológica foi a construção de um teto móvel, formado por placas que podem ser abaixadas ou levantadas para ajustar a qualidade de som, de acordo com o tipo de música a ser tocada. Com mil metros quadrados e 24 metros de pé-direito, o antigo hall da Estação Júlio Prestes ganhou 1.509 assentos de metal e madeira, divididos entre platéia, balcões e camarotes. O forro móvel é composto por 15 placas, de 7,5 toneladas cada uma, sustentadas por 20 rolos de cabos de aço e suspensas 25 metros acima da platéia. Ele pode ser ajustado de forma a permitir uma alteração volumétrica entre 12 mil e 28 mil metros cúbicos, o que garante a apresentação de composições de qualquer intensidade na sua concepção acústica. A movimentação pode ser feita independente ou em conjunto, controlada por computadores, travas e sensores automáticos. Aliadas à flexibilidade do teto, 26 bandeiras de veludo descem até oito metros, de acordo com a necessidade de vibração.

Acima do teto, há uma cobertura com extremidades arredondadas em policarbonato , respeitando a mesma concepção do projeto original do prédio, porém com materiais modernos, telha termoacústica ao invés de cobre e policarbonato ao invés de vidro. A cobertura treliçada acondiciona 230 toneladas de estrutura metálica que sustenta um piso técnico, constituído de uma laje (tipo steel deck) armada, apoiada sobre um reticulado estrutural de aço.

Complexo Cultural da Estação Júlio Prestes - Sala São Paulo
Rua Mauá, 51
Tel: (0xx11) 3351-8000
CEP 01028-000
São Paulo-SP

fonte: http://www.capital.sp.gov.br/portalpmsp/do/saopaulo?op=viewForm&coConteudo=3257&coSeqEstrutura=1901

Construída com estrutura de concreto e alvenaria de tijolos, no estilo Luis XVI, sobrecarregado com esculturas e detalhes, a Júlio Prestes seria a estação inicial da Estrada de Ferro Sorocabana, a principal veia de transporte de café em São Paulo. Ocupando uma área total de 25 mil metros quadrados, seu projeto arquitetônico, de autoria de Cristiano Stockler das Neves e Samuel das Neves, chegou a ser premiado no III° Congresso Panamericano de Arquitetos, de 1927.

Em 1930, foram entregues ao público a ala das plataformas e o concourse. Em seguida, houve nova paralisação decorrente dos reflexos trazidos pela Revolução de 1932 e dois anos depois, inaugurou-se a Estação, já com o nome de Estação Júlio Prestes.

O fim da era de ouro do café, somado à degradação da região central de São Paulo e do transporte ferroviário no Brasil, levaram a Estação Júlio Prestes ao esquecimento, aos maus tratos e, mais tarde, ao semi-abandono. Subdividido em três, parte de seu prédio abrigou, durante o regime militar (vigente no Brasil entre os anos de 1964 e 1983), o DOPS (Departamento de Ordem Política e Social) um órgão governamental que, como diz o nome, mantinha a ordem política e social do estado de São Paulo (na prática, cuidava da repressão de opositores ao regime). Outra parte do edifício seguiu destinada ao transporte, sendo utilizada pela CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), o que ocorre ainda nos dias de hoje.

Em 1990, surgiu a proposta de se recuperar a estação e transformar parte de seu belo edifício na sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a Sala São Paulo, hoje considerada a melhor sala de concertos da América Latina.

Para elevar a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) a um padrão de qualidade internacional, a orquestra precisaria de uma sede própria, com a infra-estrutura necessária para o funcionamento de uma grande orquestra. Depois de uma longa pesquisa para decidir qual seria o local mais apropriado para a construção da sala, um acaso fez com que o Grande Hall da Estação Júlio Prestes fosse escolhido. O espaço apontou similaridade entre a volumetria, a geometria e as proporções encontradas em reconhecidas salas de concertos mundiais, como a do Boston Symphony Hall, nos Estados Unidos, e a de Musikreinsaal, em Viena. Nasce ali a casa definitiva da Osesp.

No dia 9 de julho de 1999, sob a regência do maestro carioca John Neschling, a Osesp apresenta a peça inaugural Sinfonia nº 2, Ressureição, de Gustav Mahler (1860-1911). Diante de uma platéia de convidados embevecidos, entre eles Fernando Henrique Cardoso, a Sala São Paulo inaugura também o momento de ressurreição de toda a região do bairro da Luz.

Dezoito meses de obras que aliaram centenas de operários, técnicos especializados, procedimentos artesanais de longa tradição e as mais modernas tecnologias transformaram a área central da estação (um enorme hall em forma de caixa de sapatos, com pé direito de 24m) em uma das mais belas, modernas e completas salas de concerto do mundo: A Sala São Paulo. A coexistência com uma estação ferroviária requereu uma laje flutuante. Inaugurada em 1999, a sala ainda possui um forro móvel (motorizado, composto por diversos blocos independentes), que permite à acustica do local uma adaptação aos mais diversos tipos de música a serem executados. É possivel testemunhar a beleza do prédio em dias de concertos, ou através de visitas previamente agendadas.

Serviço:
SALA SÃO PAULO
Endereço: Praça Júlio Prestes, s/nº, Luz – Centro – São Paulo (Metrô Luz)
Telefone: (11) 3367-9500
Site: www.salasaopaulo.art.br
E-mail: salasaopaulo@osesp.art.br
Horário: bilheteria - segunda a sexta das 10h às 18h; sábado das 10h às 16h30; domingo das 15h às 17h.


fonte: http://www.cidadedesaopaulo.com/eventos/acontece.asp?idnot=299

O em São Paulo é um guia informativo online que procura oferecer telefones, endereços e mapas de estabelecimentos.
O em São Paulo visa somente a reprodução dos dados obtidos por pesquisa e contrubuição dos usuários, sendo que seus idealizadores não se responsabilizam por qualquer informação de conteúdo errôneo e/ou inconsistente. Este é um site gerido pela Dozem Marketing Digital